Neymar no Barcelona e os bastidores da negociação

Neymar no Barcelona e os bastidores da negociação

Rádio, Rádio Jovem Pan

Vagner Lima mostra Neymar no Barcelona e os bastidores da negociação com o Santos. Veja o bate papo com Flavio Prado, no programa “No Mundo da Bola”, da Rádio Jovem Pan.

MAIS SOBRE NEYMAR NO BARCELONA

No dia 25 de maio de 2013, foi oficializada a transferência do jogador para o Barcelona, pelo valor confirmado de 57 milhões de euros. O anúncio colocava fim a uma especulação de meses sobre a possível saída do jogador do Santos Embora se especule que o Real Madrid teria oferecido cerca de 100 milhões de euros, o jogador optou pelo clube catalão. No entanto, segundo dirigentes do clube da Catalunha, Neymar havia firmado um pré-contrato Barcelona em novembro de 2011, ou seja, o jogador santista já estava acertado com o Barça antes do Campeonato Mundial de Clubes da FIFA 2011, recebendo 10 milhões de euros em adiantamento. Esta transação foi eleita, no dia 12 de agosto de 2013, em enquete realizada no site da Fifa, a melhor contratação realizada na janela do verão europeu.

Em sua apresentação oficial na equipe catalã, Neymar foi recepcionado por 56 mil torcedores no Camp Nou e quebrou o recorde de Zlatan Ibrahimović, que em 2009, levou cerca de 50 mil ao estádio.

Na sua segunda partida pelo Barcelona, enfrentou nada mais nada menos que seu antigo time,o Santos Futebol Clube, entrando no segundo tempo, ajudando na goleada de 8 a 0 contra o rival.

Fonte: Wikipedia

VEJA MAIS VÍDEOS E REPORTAGENS DE VAGNER LIMA NO YOUTUBE – ACESSE AQUI

Rivalidade entre Barcelona e Real Madrid na Espanha

Rivalidade entre Barcelona e Real Madrid na Espanha

Rádio, Rádio Jovem Pan

Vagner Lima e Flavio Prado discutem a rivalidade entre Barcelona e Real Madrid. Veja e ouça todos os detalhes deste bate papo realizado no programa “No Mundo da Bola”, da Rádio Jovem Pan, de São Paulo.

http://www.youtube.com/watch?v=s6vpeiS9bdQ

MAIS SOBRE A RIVALIDADE ENTRE BARCELONA E REAL MADRID

El Clásico (Português: O Clássico) é o maior clássico da Espanha, conhecido também como “El derbi español” e que envolve as equipes do Real Madrid e do Barcelona.

A rivalidade entre estes clubes transcende os campos futebolísticos, dado o Real Madrid CF representar psicologicamente a realeza e o poder centralizador de Madrid e o FC Barcelona representar a cultura, o povo catalão e o seu desejo de autodeterminação,com todas as variáveis que pode haver nesse desejo. Daí a intensidade desta rivalidade, pois diferente da maioria dos países onde os principais clássicos envolvem clubes da mesma cidade, a rivalidade deste clássico envolve filosofias de entendimento políticas distintas e contrárias, e talvez por isto, seja o clássico de maior rivalidade da Europa. Ambos os clubes se odeiam mais do que aos rivais citadianos – o Atlético de Madrid (Real Madrid) e o Espanyol (FC Barcelona).

Segundo algumas interpretações, o ditador Francisco Franco tolerava as manifestações pró-Catalunha nas partidas do Barcelona, onde costuma ser cantado o hino da Catalunha e desfraldadas diversas bandeiras catalãs, pois seria mais fácil controlar os manifestantes reunidos em um estádio de futebol do que espalhados pelas ruas.

As animosidades, entretanto, só se incendiaram após Alfredo di Stéfano, contratado em 1953 pelo Barcelona, assinar polemicamente com o Real, em decadência, que logo teria anos de ouro e conquistas com o jogador argentino.

A primeira partida entre FC Barcelona e Real Madrid CF, foi disputada no dia 13 de Maio de 1902 nas semi-finais da antiga Copa de la Coronación, precedente da atual Copa do Rei e o Barcelona venceu este jogo por 3 a 1.

Em 1968, após vitória do FC Barcelona por 1 a 0 no Santiago Bernabéu em uma final de Copa, tendo havido reclamações por um possível pênalti não assinalado a favor do Real Madrid CF, o público madridista atirou garrafas e diversos objetos no gramado, causando tanto tumulto que desde então foram proibidas vendas de garrafas nos estádios espanhóis.

Pouco mais de trinta anos depois, foi a vez da torcida do Barça atirar objetos para o campo; o motivo era a presença de Luís Figo no Camp Nou. O português, quando jogador do Barcelona, tornara-se um ídolo para os torcedores, que passaram a detestá-lo quando ele se transferiu para o arquirrival em 2000. Entre os objetos encontrou-se até a cabeça de um porco.

Estes são apenas alguns incidentes dos muitos registrados na intensa história deste clássico.

Luis Enrique, dos jogadores que passaram pelos dois clubes, foi quem mais jogou clássicos, com 22 partidas, sendo treze com a camisa do Barcelona e nove com a do Real Madrid. Ao todo, trinta e três futebolistas jogaram nos rivais, sendo vinte e dois deles após a “traição” de Di Stéfano. Destes 22, onze em transferências diretas.

Fonte: Wikipedia

VEJA MAIS VÍDEOS E REPORTAGENS DE VAGNER LIMA NO YOUTUBE – ACESSE AQUI